× Fale Conosco

Solicite um orçamento sem compromisso!

Enviar via
Ou ligue para (41) 3246-6129
Se preferir, ligue para nós! Ligar agora!
Clique aqui para falar conosco!
×
× Envie-nos um E-mail






O QUE É UMA RODOVIA E SEUS TIPOS

O que é rodovia?

Estrada de rodagem, também considerada como uma via de transporte interurbano de alta velocidade, a rodovia possui fácil identificação, tendo como denominação as iniciais BR-XXX, em caso de rodovias federais, ou AB-XX (X), quando são estaduais.

Tipos de rodovias

A rodovia pode ser considerada de pista simples ou pista dupla, principalmente em relação à largura e circulação de automóveis. Em relação às pistas simples, elas são aquelas que possuem apenas um pavimento asfáltico.

Esse tipo faz com que os veículos compartilhem o espaço nos dois sentidos de circulação (conhecido como mão dupla). Para isso, os veículos devem trafegar no lado direito da pista (sempre em relação a si mesmo), mas o outro lado da pista pode ser utilizado para a realização de ultrapassagens.

Já as rodovias de pista dupla possuem dois ou mais pavimentos, contando com uma barreira física central. Essa barreira pode ser composta por canteiros, meio-fio, muretas, entre outros elementos.

Essas barreiras, além de impedirem conversões ou retornos, são responsáveis por manter cada sentido de circulação com uma pista própria. Elas permitem o uso de maior velocidade e segurança, pois impedem que ocorram a colisão de veículos de maneira frontal.

Quando ocorre a conversão de uma rodovia de pista simples para uma rodovia de pista dupla, dá-se a esta obra o nome de duplicação. Ultimamente, esse procedimento está se tornando comum nas rodovias de pista simples, pois elas são responsáveis pelo escoamento do tráfego rodoviário, que está cada vez mais intenso.

Velocidade das rodovias

As rodovias brasileiras apresentam regras que impõem limites de velocidade, impedindo que os veículos transitem por elas com uma velocidade superior àquela que foi delimitada. Nas rodovias de pista simples, a indicação é de que a velocidade não ultrapasse os 100 km/h, já nas de pista dupla, podem chegar a 120 km/h.

Porém, esses limites podem variar ao longo de uma mesma rodovia, ou por delimitações das características de cada trecho, ou por alterações nas regras de velocidade estipuladas, com formas diferentes de classificação por cada caso.

Por exemplo, trechos em declive ou que apresentem curvas perigosas podem impor limites de velocidade entre 60 a 80 km/h. Esses valores podem sofrer alterações em trechos de perímetros urbanos de municípios, para garantir a segurança de pedestres e animais.

Também existem casos de rodovias que estipulam limites diferentes de velocidade para cada tipo de veículo. Normalmente, os automóveis podem ter a limitação de até 110 km/h, enquanto veículos mais pesados, como caminhões e ônibus, podem trafegar em até 90 km/h. Mas isso depende das limitações impostas por cada município.

Essas limitações acerca das velocidades por tipo de veículo servem para diminuir o desgaste das pavimentações, sendo úteis também para controlar a dificuldade de se realizar manobras específicas, como frenagens emergenciais.

Como uma rodovia é feita?

A rodovia possui três fases essenciais para a sua construção: o planejamento, o projeto e a construção. A finalidade da rodovia é o ponto que vai determinar o seu traçado, a sua resistência e os materiais a serem utilizados no projeto.

O planejamento é realizado para definir a função principal da rodovia (no caso, comercial, turística ou militar). Ele também é responsável por calcular o tipo e o peso dos veículos que utilizarão a rodovia, além de calcular as horas de maior volume de tráfego.

Além de verificar a possibilidade de acidentes e engarrafamentos, e também os custos de construção, operação e manutenção, o planejamento é responsável por analisar a densidade demográfica das regiões que serão atendidas pela rodovia.

São feitos estudos do crescimento da frota de veículos, do tipo de atividade econômica e a capacidade futura da rodovia em conseguir fazer o escoamento de tráfego, além de sua possível ampliação.

Todas as informações coletadas durante a fase do planejamento são utilizadas para fazer o projeto, que reúne os desenhos da planta da estrada, além do perfil transversal e longitudinal, dimensionamento das obras e a elaboração do orçamento.

A partir de todas as informações coletadas nas fases do planejamento e do projeto, é que será possível a construção da rodovia, obedecendo todos os estudos realizados, de modo a oferecer a melhor infraestrutura para os veículos que irão trafegar por ali.