× Fale Conosco

Solicite um orçamento sem compromisso!

Enviar via
Ou ligue para (41) 3246-6129
Se preferir, ligue para nós! Ligar agora!
Clique aqui para falar conosco!
×
× Envie-nos um E-mail






10 DICAS PARA TER ECONOMIA NA OBRA

É natural durante a concepção dos projetos o pensamento: “quanto vai custar?” ou “será que meu orçamento contempla tudo isso?” Em tempos de crise, toda economia que puder ser feita sem perda da qualidade é muito bem-vinda, e por isso neste artigo trataremos das 10 dicas para economizar na obra.

CONTRATE UM ENGENHEIRO/ARQUITETO: 

O mais inteligente a se fazer pensando em economia é contratar alguém que estudou os métodos construtivos e está atualizado das tendências da construção civil. Não apenas pela estética ou elaboração de projetos, mas também para acompanhar a execução da obra, gerenciar a compra e aplicação dos insumos, a equipe de trabalho e o tempo.

PROJETO E PLANEJAMENTO: 

A etapa de planejamento é a fase mais importante nos projetos de qualquer espécie. Nela é possível prever, anteceder e se precaver de problemas futuros partindo-se dos estudos de viabilidade e compatibilização de projetos. É importante expor suas ideias enquanto cliente ao arquiteto responsável e questionar as aplicações sugeridas por ele. Uma vez com o advento dos softwares de modelagem a visualização prévia do projeto se faz totalmente possível por meio das renderizações, portanto todas as alterações estéticas podem ser realizadas ainda em etapa de projeto. É importante também que se realize um cronograma e que se faça cumprir, pois obra parada é sinônimo de dinheiro perdido. Os maquinários da construção civil, em geral, têm seus aluguéis cobrados por hora ou dia.

MÃO DE OBRA QUALIFICADA:

Ter uma equipe de trabalho especializada no serviço é essencial para gerar economia na obra, pois a partir disso garante-se a qualidade e produtividade do serviço. Uma equipe treinada diminui o índice de retrabalho, amplia o uso consciente dos recursos. 

ORÇAMENTOS E NEGOCIAÇÃO: 

Pesquisar e cotar os insumos antes de comprá-los e a mão de obra antes de contratá-los certamente trará economia à obra. Comprar os insumos em lotes ou grande quantidade – dentro da sua necessidade – também poderá ser passível de desconto por parte de grandes lojistas. Cartões de lojas e compras com CNPJ também podem oferecer descontos e parcelamentos, por isso é sempre bom pesquisar com pelo menos três fornecedores antes de fechar um serviço ou compra.

CUIDADO COM OS INSUMOS: 

Uma vez comprados os insumos (sejam tijolos, argamassas, ferragens, revestimentos e afins), é imprescindível o correto armazenamento dos itens. Cada insumo deve respeitar o empilhamento máximo indicado pelo fabricante em suas embalagens. Alguns deles, como cimentos e argamassas, devem evitar o contato com o solo e umidade e serem empilhados sobre pallets, por exemplo. Deve-se atentar à data da validade dos materiais e evitar comprá-los todos de uma vez. 

PESQUISA E ESCOLHA CONSCIENTE DE ACABAMENTOS: 

Nem sempre o porcelanato mais caro da loja é o mais adequado ao seu projeto. Por esta razão, é recomendável conversar com o arquiteto e projetista – que estarão por dentro das tendências de design – sobre as suas intenções. Ele ajudará a encontrar a solução mais viável dentro do seu orçamento, além de te acompanhar às lojas prestando consultoria. 

CUIDADO COM DICAS “DIY”: 

Atualmente é possível encontrar tutorial de praticamente tudo na internet, mas é preciso ter cautela ao explorar as habilidades no “Do it yourself” – ou “Faça você mesmo”. Se houver algo que possa ser feito sem ajuda de profissionais vale a pena pôr a mão na massa e economizar, mas atividades aparentemente simples como pintura de paredes requerem preparo, exigem técnicas e paciência. 

PENSE VERDE: 

Materiais mais sustentáveis podem parecer caros à primeira vista, mas a longo prazo podem ser mais econômicos ou ter sua vida útil estendida. Torneiras com arejadores e lâmpadas de led são bons exemplos de itens em que vale a pena o investimento, pois no futuro apresentarão redução nas contas de água e luz. 

COMUNICAÇÃO ENTRE OBRA E EMPRESA GESTORA: 

O acompanhamento de obra é extremamente necessário para garantir o correto cumprimento do cronograma, e a compra e entrega de materiais no momento certo. Para isso é imprescindível que haja uma comunicação eficaz entre a equipe de obra e a equipe do escritório. 

CUIDAR COM DESPERDÍCIOS: 

Se todas as dicas deste artigo forem seguidas dificilmente haverá desperdício de recursos. É importante lembrar que além dos insumos, o tempo também é um recurso essencial que não pode ser desperdiçado.  Entretanto, como o trabalho é realizado por seres humanos – que por mais preparado que estejam ainda apresentam falhas -, é preciso estar sempre atento ao gerenciamento da obra como um todo e buscar soluções que evitem a perda de recursos, além da economia.